Por

A bonita e antiga vila medieval de Segine tornou-se parte do condado de Lecce no século 12, depois foi doada pelos Angevins ao Convento de San Giovanni Evangelista em Lecce e, finalmente, em 1294 foi concedida como feudo por Carlos II De Angiò a Gervasio Acaya, uma família que mudou sua história. O Acaya manteve o feudo por três séculos.

Alfonso Acaya então deu a face de terra habitada a Segine, mas o nome atual de Acaya foi assumido apenas em 1535, quando o filho e grande magister Gian Giacomo dell’Acaya, ex-arquiteto e engenheiro militar de Carlos V, construiu as paredes ao redor do centro, além de muralhas, muralhas e o castelo construído por seu pai 29 anos antes. Ele também adicionou um fosso imponente ao redor do próprio castelo e foi decidido mudar seu nome de Segine para Acaya em homenagem à família que fortificou a vila.

Sua particular importância histórica se deve justamente por ser o único exemplar de cidade fortificada do sul da Itália que sobreviveu incólume aos séculos e às guerras, mantendo sua aparência, tendo um estilo tipicamente renascentista. A aldeia fortificada reflecte os esquemas ideais da cidade-fortaleza, pois nela se pode ver a configuração desenvolvida nessa época, das obras defensivas constituídas pela muralha baluarte com “lados retraídos” e a morfologia urbana com uma disposição ortogonal rígida, ambos elementos fundamentais. do novo planejamento urbano.

O castelo é muito bonito, com um robusto cordão de pedra e duas grandes torres coroadas no topo com pequenos arcos e hastes. Mesmo as estradas internas são planejadas militarmente e não apresentam a clássica conformação circular dos centros históricos das cidades italianas, mas estão inseridas em um plano de ruas retas bem espaçadas que se cruzam horizontal e verticalmente.

Este centro foi fortificado com o consentimento de Carlos V precisamente para criar uma estrutura defensiva mais afastada da costa que fosse capaz de responder de forma mais eficaz aos ataques dos turcos que desembarcaram em massa nas costas da Puglia naqueles anos.

A fortificação permaneceu intacta e ainda é visível nos dias de hoje. A muralha foi construída em torno do centro da cidade, para além do castelo anteriormente existente. Além disso, um grande fosso foi cavado e equipado com uma ponte levadiça.

Um passeio pela vila fortificada de Acaya

O Castelo, de base trapezoidal, é acessível por uma única ponte. As paredes fortificadas são reforçadas por duas torres cilíndricas. Uma escada leva aos quartos do andar superior, incluindo o salão do bastião, com sua pintura dos brasões dos reis espanhóis, e uma sala decorada com motivos de estilo clássico esculpidos em pedra de Lecce.

Piazza

Ainda hoje o centro está rodeado pelas antigas muralhas da cidade. Possui apenas uma porta de entrada, a Porta Sant’Oronzo, assim chamada porque no topo se encontra uma estátua de Sant’Oronzo, patrono da cidade, esculpida em pedra de Lecce e aí colocada em 1692 por Andrea Vernazza então senhor do feudo. Assim, parando em Acaya, terá a nítida sensação de fazer uma viagem no tempo para se encontrar em frente a uma cidade fortificada do século XVII.

Depois de cruzar o portão, você pode passar pelas ruas de Acaya, que são todas paralelas ou perpendiculares entre si, em uma espécie de xadrez.

A Igreja Paroquial de Acaya remonta ao século XVI e é dedicado à Madonna delle Neve. A fachada foi reconstruída em 1865 após a ampliação. A abside e a elegante torre sineira, recentemente restaurada, são do período românico tardio. Adjacente à igreja está a torre sineira restaurada por G.Giacomo dell’Acaya.

As muralhas exteriores da vila formam um rectângulo com três baluartes e são constituídas por uma pedra típica desta zona, a “pietra leccese”. No topo das paredes existe uma passagem reservada aos soldados.

Além das muralhas da cidade

Fora da cidade não pode deixar de visitar a Reserva Natural “Le Cesine”, localizada perto da costa do Adriático, representa uma das últimas áreas pantanosas que no passado se estendiam de Otranto a Brindisi. O nome Cesine deriva de seges que significa área não cultivada e abandonada. A Reserva é composta pelas dunas, a zona pantanosa, o pinhal, o matagal e a área cultivada.

O oásis foi estabelecido em 1978 após a declaração de interesse internacional. No oásis existem duas lagoas, Salapi e Pantano Grande, alimentadas pelas chuvas, que são separadas do mar por uma faixa de dunas de areia. O Oasis é administrado pelo WWF. A área arborizada é representada basicamente por pinhal com pinheiro de Aleppo (Pinus halepensis) e pinheiro manso (Pinus pinea). A fauna é formada por anfíbios, répteis e inúmeras espécies de aves que povoam os diferentes ambientes da Reserva em diferentes épocas do ano.

Reserva Natural “Le Cesine”

Curiosidade

A ordem religiosa dos Discípulos do Sagrado Coração nasceu na cidade fortificada em 1929.

veja ainda outras opções de estadia nos textos que escrevemos sobre a Puglia:

Mais dicas

Saiba mais

 

 

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.