Sobre a segurança na Itália

 •  3

By

O presente texto foi escrito por Deyse Ribeiro, Maria Arruda e Patrícia Kalil.

Andam dizendo por aí que a Itália não é um país seguro, que aqui acontecem assaltos e furtos todos os dias. É claro que acontecem e, enquanto estamos escrevendo este texto, certamente em algum lugar do país está ocorrendo um assalto a algum banco ou a alguma loja. Mas isso não é uma exclusividade da Itália, são coisas que acontecem em todos os lugares. Todos. Quer dizer, talvez não aconteça no Polo Norte, mas por motivos logísticos.

Antes de mais nada, vamos entender a diferença entre furto, roubo e assalto.

Furto é quando alguém subtrai algo que pertence a outra pessoa sem que haja contato físico com ela. Quando há contato com a vítima, violência ou ameaça, na verdade trata-se de roubo. Assalto, termo não usado em Direito, é um sinônimo de roubo.

Quando alguém rouba a carteira de outra pessoa e a vítima não se dá conta, trata-se de um furto. Quando alguém tenta pegar algum objeto seu deixado sem vigilância, trata-se de furto. Quando um ladrão tenta puxar a sua bolsa, aí trata-se de roubo. No entanto, aqui na Itália ninguém vai apontar uma arma para o turista mandando passar todos os pertences. Ninguém sequestra uma pessoa e a leva até um caixa eletrônico em um lugar ermo para que saque todo o seu dinheiro. Roubos/assaltos acontecem, mas em proporções mínimas.

Uma jornalista americana escreveu que os turistas ficam tão abobalhados com a beleza da Itália, que acabam se esquecendo de tomar conta dos próprios pertences. Os menos atentos são as vítimas prediletas dos batedores de carteira. Muitos viajantes brasileiros parecem que simplesmente esquecem de tomar as mesmas precauções que tomam no Brasil – porque devem achar que na Europa não existe ladrão – e acabam dando bobeira.

 

Sim, a Itália é, de maneira geral, um país seguro

Quando afirmamos que a Itália é, em termos gerais, um lugar seguro, não estamos dizendo que não existe criminalidade, mas nós, que moramos aqui há anos e temos competência para falar sobre a questão da segurança pública, consideramos a Itália um ótimo lugar para se viver, e sim, vivemos tranquilamente, sem ter que colocar grades nas nossas casas.

Quem visita a Itália percebe o quanto o Italiano é um povo feliz e receptivo, principalmente no sul do país. A polícia está em todos os lugares no centro e ainda há câmeras de segurança pra todos os lados. Outra coisa, não é preciso ter medo dos imigrantes: claro que há problemas com imigrantes ilegais, como em qualquer capital europeia (pergunte a quem vive na França, é algo comum na Europa), mas não quer dizer que todo imigrante seja ladrão (ou brasileiro aqui também não é imigrante?).

Dizer hoje em dia que uma cidade grande seja segura é praticamente impossível. Assim como é impossível generalizar e dizer que todo um pais seja inseguro (excluo, por razões óbvias, os países em guerra ou dominados por grupos terroristas, como o grupo ISIS).

Visitar Miami, Las Vegas, Paris, Nápoles, Madri, Berlim, etc., requer muita atenção do turista, o qual precisa considerar a proporção criminalidade-população: quanto maior uma cidade, maior o risco de sofrer algum tipo de delito. Vamos pegar um exemplo: metrópoles italianas. As grandes estações ferroviárias (e de metrô) e as suas principais atrações turísticas têm, sim, problemas sérios de furtos causados pelos famosos “trombadinhas”, mas nada que justifique algum tipo de alarmismo em relação a todas as cidades do país. Porque sou roubada em Bolonha, isso me consente escrever nas redes sociais que a Itália é totalmente perigosa, que a violência está em toda a parte?

Consideramos tal atitude, principalmente vinda de uma pessoa enquanto formadora de opinião na internet, irresponsável e leviana. Propagar um “terrorismo psicológico” na mente dos leitores em decorrência de uma desaventura estritamente pessoal só demonstra a total falta de respeito em relação ao país e ao povo que recebeu essa mesma pessoa de braços abertos.

Como diz o velho ditado:  A porta da rua é serventia da casa.

 

Este texto faz parte da Blogagem Coletiva sobre a segurança na Itália. Veja também os textos de:

Descobrindo a Sicília

KeViagem

Milão nas Mãos

O guia de Milão

Onde está Andrea

Passeios na Toscana

The following two tabs change content below.
Itália para Brasileiros

Itália para Brasileiros

3 Comments

  1. Lays / 07/08/2015 at 21:16 /Responder

    Olá… vou passar dez dias na Itália no começo do ano. Pretendo ir sozinha e sinto um pouco de medo! Não falo outro idioma. Será que consigo me virar por lá? Sonho em conhecer a Itália… pretendo ir até Veneza, Florença e se conseguir um vôo em conta vou até Paris.

    Obrigada

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 08/08/2015 at 09:24 /Responder

      Oi Lays,

      Como escrevemos no post, não precisa ter medo. Basta tomar os cuidados mínimos, como em qualquer lugar do mundo.
      Você não arranha nem o inglês? Como você visitará cidades muito turísticas, há a possibilidade de você encontrar pessoas que falem português. Além disso, certamente você encontrará muitos brasileiros durante a viagem.

      Um abraço,

      Patricia

  2. Sandra / 30/07/2015 at 15:43 /Responder

    Acho interessante comentar que a população carcerária na Itália é composta por mais de 50% de estrangeiros(Romenos, ciganos, marroquinos, africanos, etc…) sendo a população de estrangeiros (imigrantes) corresponde à aproximadamente 13% da população total italiana. Como a política atual é favorável a entrada de imigrantes no país, o número de pequenos delitos deve sim, aumentar. Estive lá em 2014 e percebi uma grande decadência nos últimos 2 anos no que diz respeito à segurança.
    Abraços e boa viagem.

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.