By

Algumas dicas práticas para esquiar na Itália, os nomes dos esquis, como reconhecer as pistas, os tipos dos passes de esqui, etc. Tudo o que você precisa saber para esquiar por aqui.

Sila Calabria_4

A Itália é um paraíso para todos os amantes de neve e de esportes de Inverno. Os Alpes italianos, que cobrem o norte da Itália de ponta a ponta, bem como a cordilheira dos Apeninos, que atravessa todo o centro do país até a Calábria, são as duas principais áreas de esqui. Mas ainda é possível, por exemplo, esquiar na Sicília.

Porém, se você quer esquiar na Itália, há algumas coisas que você deve saber como funcionam, como o ski pass, além dos tipos de esqui com seus nomes. Vamos ver:

O Ski Pass

O Ski Pass, ou passe de esqui, é um cartão que é necessário para entrar nas pistas de esqui, mas são obrigatórios sobretudo para usar os teleféricos (veja abaixo os tipos) e passar de pista à pista. Com este cartão é possível passar nas catracas de entrada das pistas para que você possa subir até o cume da montanha e apreciar as descidas, mesmo que você não esquie, ou vai acompanhar alguém ou mesmo só tirar fotos.

Existem diferentes tipos e preços de passe de esqui, dependendo do local e da duração do passe.

exemplo de Ski Pass Foto: Wikipedia Commons

exemplo de Ski Pass
Foto: Wikipedia Commons

Como exemplo podemos citar a zona alpina das Dolomitas (info aqui), os passes de esqui podem ser adquiridos para 1 dia, 1 semana, para uma temporada inteira: em cada período você pode usar as pistas quantas vezes quiser, em qualquer zona das Dolomitas. Uma ótima ideia para quem quer conhecer pistas novas.

Na entrada das pistas há catracas que delimitam a passagem, uma ao lado da outra. No lado esquerdo de cada uma, há um sensor que reconhece o passe de esqui pelo chip e assim libera a passagem. Você pode entrar sem tirar o cartão da jaqueta, somente passando próximo ao sensor, eles reconhecem facilmente. Isso facilita pra quem esta segurando os esquis ou está de luva.

Os tipos de teleféricos

Para subir até o topo da montanha, e de lá para começar a descida, existem vários tipos de teleféricos:

à esquerda um exemplo de seggiovia

à esquerda um exemplo de seggiovia

1. Seggiovia: é aberta e cabem em média de 1 a 6 pessoas, as pernas ficam penduradas e há local para colocar os esquis. Algumas versões novas possuem um dossel.

Valle D'Aosta_68

Funivia em Pila, Valle d’Aosta

 

2. Funivia: é a opção mais comum, grande, fechada, onde é possível colocar os esquis fora da cabine, em pé e estar sentado sem morrer de frio.

3. Ovovia: tem este nome estranho porque parece mesmo um ovo, cabem, em geral, de 2 a 4 pessoas, é fechado e há local para o esqui.

4. Skilift: nos últimos anos é sempre menos utilizados. Possui uma cadeira simples, que é colocada entre as pernas; assim que você está sentado, mas não há muita proteção. Eu evito utilizá-la.

Em alguns lugares é possível encontrar o tapis roulant, uma esteira rolante (como aquelas nos aeroportos) para subir um desnível sem tirar os esquis. Muito utilizado ainda em pistas de principiantes e áreas com escola de esqui.

Sila Calabria_1

ovovia na Calábria

Os vários tipos de pistas

Existem diferentes tipos de pistas, que variam segundo a dificuldade e a inclinação do terreno, que é o que influi para dar uma categoria à uma pista. As pistas são marcadas por diferentes cores e números. Todos esses cartazes se encontram no mapa das pistas, no início da pista, e nas partes em que as pistas se sobrepõem.

As pistas de esqui são classificadas de forma diferente dependendo da inclinação do terreno. Há quatro tipos de pistas que pode ser encontradas, divididas pela cor:

pista cor preta

pista cor preta

VERDE: identifica pistas com uma inclinação de menos de 5%, geralmente correspondente aos campos. O nível de dificuldade é baixo e é adequada para iniciantes. Nem todos os locais possuem pistas verdes.

AZUL: esta cor identifica pistas com um inclinação entre 6% e 25%. Elas também são chamadas pistas azuis e seu nível de dificuldade é considerado baixo. Esquiadores iniciantes em fase de crescimento podem usá-las, porém devem levar em consideração que são pistas mais longas que as verdes.

VERMELHO: marcam as pistas com percursos nos quais se encontra uma inclinação entre 26 e 40%. São as pistas de média dificuldade adequados para pessoas experientes.

PRETO: é a cor das pistas com setores significativos da inclinação, de mais de 40%. O nível de dificuldade é alto e são pistas específicas para pessoas muito experientes. Para indicar pistas com mais de 55% de inclinação, costuma-se colocar nos sinais também as palavras “piste per sciatori esperti”, ou seja pista para esquiadores experientes.

madonna di campiglio_26

É muito importante notar que a percentagem de inclinação presente nos sinais das pistas, expressa o valor médio de todo o comprimento da pista. Isto significa que você pode muito bem encontrar pistas de 40%, mesmo esquiando em pistas de cor AZUL. Em geral, no entanto, se trata de trechos muito curtos que são chamados de “muri”, ou seja, paredes.

Também é necessário fazer uma distinção entre porcentagem e grau de inclinação. Muitos pensam que uma inclinação de 100% é igual a um ângulo de 90°, mas não é o caso. Uma inclinação igual a 100% corresponde a 45°.

Deve ser também levado em conta o tipo de neve, de fato, este é um fator que influencia muito na dificuldade do percurso. A mesma via pode ser considerada muito fácil quando a neve é ​​mais macia, ou mais difícil se são presentes, por exemplo, pedaços de gelo.

A sinalização é importante e ajuda você a escolher a faixa que mais lhe convier. Mas não superestime suas habilidades técnicas, pode ser perigoso! Os sinais indicam só as características e os perigos do caminho, mas a escolha final é sua.

madonna di campiglio_59

Durante a descida, a largura da pista é marcada com varas laranja.

Você pode esquiar pelas pistas todas as vezes que quiser, dependendo da duração do seu passe de esqui. Muitas pistas são geralmente ligadas umas com as outras. Porém, em alguns casos, quando as pistas são distantes, você pode encontrar um serviço de ônibus especial que leva você à outra pista.

Diferentes formas de esquiar:

Claro que na Itália você vai encontrar vários tipos de esquis, dependendo das diferentes formas do esporte:

1. Sci nordico: sob este nome, é geralmente compreendido, em geral os tipos de esqui praticados no inverno com faixas de neve, no qual não se utiliza fixar o sapatos de neve no esqui, como nos esportes: sci di fondo,  salto com esqui, o sci alpinismo, etc.

2. Downhill, ou Sci di discesa ou Sci alpino: este nome significa o esqui praticado em uma descida da montanha.

Sila Calabria_6

3. Sci di fondo: é o tipo de esqui realizado na planície, ou seja, sem desníveis. A pista não é um espaço simples com neve, mas tem 2 lados entre os quais você pode esquiar, chamados de “corsie” ou “binari”. Em outras palavras, neste caso há uma descida, mas um o esqui desliza formando pequenas curvas sem desnível. A pista, neste caso pode ser em forma de anel. Neste esporte os esquis são mais estreito e longos e também o sapato é diferente.

4. Sci alpinismo: este é um esporte para se realizar com o chamado Guida Alpino, um guia especializado. É uma forma de esquiar ao longo de um caminho. Os sapatos e esquis são diferentes. Para subir e não correr o perigo de deslizar, eles são geralmente em baixo do esqui são colocados peles de animais, ou produtos mais modernos, que são removidos quando ocorre a descida. A descida é também por algumas trilhas, que muitas vezes não são bem traçados é passeios com neve recentemente caída. Portanto, este esporte é aconselhável apenas para quem sabe esquiar muito bem e têm boa formação.

5. Snowboard: no desporto, uma única prancha, onde os pés ficam fixados na prancha em paralelo. No snowboarding existem vários tipos de prancha, dependendo do tipo de pista que vai fazer, e da sua habilidade.

Sila Calabria_5

6. Ciaspole: são como raquetes que se encaixam nos sapatos de neve, os passeio feitos com eles são chamados de Ciaspolate, um passeio feito com as raquetes de neve. Antigamente as raquetes eram de madeira, e hoje são feitos com materiais mais modernos. É uma experiência divertida, um trekking na neve, mas na realidade bem mais difícil, porque você afunda pé andando na neve, e tem que fazer um grande esforço.

Refugios:

Por fim, lembre-se que em cada pista, geralmente há um Refugio, um bar com restaurante, que em geral você encontra uma deliciosa comida caseira. Alguns refúgios oferecem ainda local para dormir, alguns possuem lojas de equipamento de esqui.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outros são refúgios refinados, como o que encontramos em Madonna di Campiglio, com um bar da Fiat!

À noite os refúgios organizam festas e o bar fica aberto, portanto é possível subir se você possui o passe, porque os teleféricos ficam abertos.

Maestro di Sci:

Se você é iniciante pode contratar um Maestro di Sci, como são chamados os professores de esqui. As aulas em grupo são muito tranquilas, em número reduzido e não custam tão caro. Vale a segurança. É possível ainda contratar um particular. Em toda pista de esqui você encontra um escola, e claro, em toda a cidade com pista também.

Valle D'Aosta_62

Há também o Maestro di Snowboard, mesmas dicas de cima.

Não sabe esquiar?

Se você não sabe esquiar não fique triste! Há várias outras maneiras de se divertir na neve.

1. Sleddog ou Bobsleigh: Este é um trenó puxado por cães treinados.

Na Calábria, na Sila, eu tive o prazer de ter uma pequena aula de Bobsleigh com o campeão mundial na categoria! Foi uma experiência deliciosa, mesmo que eu tenha caído (sim, numa curva os cachorros foram para um lado e eu para outro), fiz uma boa risada da situação. Os cachorros são uns amores, super dóceis e são muito bem tratados.

2. Snowbike: bicicleta especial para a neve.

Sila-Calabria_67

 

Fomos na área de Carlo Magno, uma área organizada para atividades na neve e esqui. Lá pudemos conhecer e provar várias atividades, além do snowbike, que é esta bicicleta adaptada para andar na neve, pudemos ver outros esportes e andar de “gato delle neve” um tipo de “trator para neve” que limpa e deixa a pista lisinha.

3. Motoslita: a moto de neve, você pode alugar

4. Slita: é uma tábua de diversos tamanhos onde é possível escorregar na neve. Diversão para todas as idades.

Dicas gerais:

  • antes de comprar o passe, analise se irá ou não mudar de cidade ou de área de esqui e verificar qual opção é melhor.
  • você pode verificar na internet e comprar o passe online para não enfrentar fila no dia.
  • verifique no ponto de informação da cidade os tours que são realizados, pois alguns guias alpinos – guide alpine – fazem excursões em grupo de Ciaspolate, Sci alpino, são bem interessantes. há inclusive as Ciaspolate notturne, realizada à noite, eu ja pratiquei e foi bem interessante.
  • não vá fora da pista com seu esqui, as multas são salgadas em alguns locais.
  • à noite alguns refúgios fazem algumas festas e alguns bebem demais e tentam descer as pistas à noite. Por isso algumas cidades proibiram a descida noturna de esqui, portanto atenção, há multas! Uma dessas cidades é Madonna di Campiglio.

Leia no blog os outros textos que falam das pistas de esqui na Itália:

Nota: Eu participei desta viagem de imprensa como convidada pelo Hotel Miramonti e APT de Campiglio. Este post faz parte de uma série de textos baseados nas minhas experiências durante esta viagem. Todos serão identificados. Não recebi dinheiro para escrever, não tenho nenhum vínculo de obrigações de produção de textos, divulgação de mídia social, portanto tenho total liberdade editorial.

blogtour

Mais dicas

Saiba mais

* Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.
The following two tabs change content below.
Deyse Ribeiro
Deyse Ribeiro mora na Toscana desde 2007, onde é guia de turismo habilitada, autora do blog Passeios na Toscana. Ela trocou as colinas de Minas pelas colinas do Chianti, o queijo mineiro pelo pecorino e a cachaça do interior pelo vinho Brunello, e começou uma vida nova “sob o sol da Toscana”. Entende o complexo mundo do turismo na Itália, é especialista em trufas (tartufo), fez curso de sommelier, e apaixonada por arte e história. Em 2017 abriu o Passeios na Toscana Reservas Turísticas.

One Comment

  1. Diego / 22/09/2016 at 16:15 /Responder

    Olá, em breve estarei indo pra Itália por conta da minha cidadania e estou muito entusiasmado com tantas possibilidades de diversão. Mas com respeito a trabalho será que vc tem alguma notícia se o governo está contratando pessoas para reconstrução das cidades abaladas pelo trágico terremoto? Obrigado pelas informações publicadas e por vossa atenção, abs!

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.