By

Conheça o Castelo de Vulci, no Lazio, em meio ao Parco Arqueológico e Naturalistico de Vulci com uma ponte do III a.c. e mais de 30.000 tombas etruscas e romanas.

Vulci é uma antiga cidade etrusca que hoje faz parte do território do município de Canino e de Montalto de Castro, na província de ViterboLonge do mar, ele está localizado em uma plataforma de calcário ao longo da margem direita do rio Fiora, e foi uma das maiores cidades-estados da Etrúria, com um forte desenvolvimento marítimo e comercial com a Grécia e o Oriente.

Em Vulci, hoje em dia, é possível encontrar o local de um grande Parque Arqueológico que consiste em uma notável necrópole etrusca. A região também é particularmente conhecida por ser um importante local naturalista, lar de um oásis da mais importante organização para a proteção da flora e da fauna da Itália.

Para quem não sabe, os etruscos foram um povo que viveu na península Itálica, ao sul do rio Arno e ao norte do Tibre, mais ou menos na área equivalente à atual Toscana, com partes do Lácio, Campania e Úmbria. Saiba mais aqui.

A cidade de Vulci experimentou o período mais importante de sua história durante o período dos Villanovianos. Nascido com as primeiras civilizações italianas, Vulci tem partes da cidade que remontam aos períodos do Neolítico e da Idade do Bronze. Posteriormente, sofre um declínio lento que até 300 a. C., que levou à destruição pelo exército romano liderado pelo cônsul Tiberio Coruncano.

castelo de vulci castello di vulci lazio 13

Na margem oposta do planalto de Vulci fica o majestoso Castello dell’Abbadia, hoje mais conhecido como Castello di Vulci, que hoje abriga um importante Museu Nacional de ArqueologiaO castelo de Abbadia tem origens muito antigas, há cerca de 30 metros de altura, foi erguido ao lado de uma  ponte no século III. a.C, construído pelos romanos sobre fundações etruscas pré-existentes, chamado de Ponte del Diavolo.

A ponte foi feita de tufo, e é completamente coberta com travertino, além de ser colocado em duas falésias íngremes. A altura máxima na altura da curvatura é de cerca de trinta metros sob as águas do rio Fiora. Os parapeitos são muito altos e profundos, impossível assim ter a sensação de vertigem, facilitando o turista durante a passagem para apreciar a vista espetacular do rio abaixo.

O nome de Ponte del Diavolo foi dado pela população na Idade Média, pois naquela época (sem o conhecimento da grandeza romana e etrusca) só o diabo conseguiu fazer uma ponte com arcos tão altos e largos. Na Idade Média, a ponte foi modificada para aumentar a segurança: foram criadas estruturas de defesa ligadas à nova construção do Castello di Badia, localizada apenas para guardar a própria ponte.

castelo de vulci castello di vulci lazio 3

Da ponte, portanto, é possível ter acesso completo à entrada do castelo medieval, que é uma antiga abadia beneditina, construída em 809 por dois nobres lombardos. Esta propriedade atrai muitos turistas para a cidade de Vulci.

A posição estratégica entre o Pontifício e o Grão-Ducado da Toscana tornou o edifício muito atraente, na verdade numerosas famílias poderosas brigaram por ele: no século XIII, o castelo se tornou um importante centro de assistência e hospitalidade dos peregrinos, era provavelmente propriedade dos Templários, depois foi de propriedade dos Aldobrandeschi e depois dos Farnese wue inseriram o castelo entre suas propriedades, no período napoleônico o castelo foi atribuído a Luciano Bonaparte, irmão do imperador, como Príncipe de Canino. Mais tarde passou para aos Torlônia, mas durante o século XIX, também viu sua posição, foi usada como dogana pelo Estado Pontifício. Após anos de negligência, o complexo foi confiscado pelo Estado italiano.

castelo de vulci castello di vulci lazio 12

Dentro você pode encontrar o Museu Etrusco, que contém os achados do Parque Arqueológico. Basicamente, é possível admirar vasos, urnas cinerárias, objetos da vida cotidiana e uma coleção particular de “falli”, tipicamente etrusca. O museu está aberto todos os dias de maio a setembro.

O famoso escritor e poeta inglês David Herbert Lawrence (“amante de Lady Chatterley”) nos dá uma sugestiva descrição do castelo, durante uma visita no final de 1800:  Ao lado da ponte  está a Castelo preto em ruínas, com grama saindo da borda das paredes e da torre negra. Como a ponte, é construída com blocos de tufo marrom-avermelhado, mas muito mais quadrado. E lá dentro há um vazio muito especial, o castelo não está totalmente em ruínas, é uma espécie de casa rural … “.

Como chegar

Primeiro você precisa saber que para chegar a Vulci da estrada Aurelia  se você está vindo do Norte ou do Sul, você precisa chegar a Montalto di Castro. Logo após passar por esta cidade, seguindo para o norte, você encontrará o antigo restaurante de Vulci. Imediatamente após este, a Estrada Provincial começa, o que leva diretamente para a antiga cidade de Vulci. Ao longo desta estrada, e precisamente à sua direita, você encontrará a entrada para o Parque Arqueológico. Este último se estende até o rio Fiora acima mencionado.

castelo de vulci castello di vulci lazio 5

Chegando no Parque você pode optar:

  • visitar somente o castelo e o museu, e pagar pela entrada no Museu, 2 euros.
  • fazer uma caminhada de 2hs – chamado de percurso breve e pagar pela entrada no Parque – veja aqui
  • fazer uma caminhada de 3hs . chamado de percurso completo e pagar pela entrada no Parque –  veja aqui
  • fazer uma caminhada acompanhada pelo pessoal do Parque e visitar a Tomba François , o Tumulo della Cuccumella e a Tomba delle Iscrizioni, reservando no tel  0766.89298- 0766/870179  até 48 hs antes. Veja aqui.

Se você optar por aventurar-se, então você poderá admirar uma estrada etrusca perfeitamente reconstruída que levará à descoberta da antiga necrópole. Milhares de túmulos (exatamente 30.000) estão localizados nesta porção de terra. Entre os mais importantes, certamente, lembramos o de François, que deve seu nome ao arqueólogo francês que o descobriu. É famosa, já que é uma grande tumba de câmara muito bem preservada, mas você só pode ver através de um tour pago.

castelo de vulci castello di vulci lazio 7

O oásis WWF

Nesta localização, precisamente na sua vizinhança imediata, como disse antes,  fica o oásis de Vulci WWF. Ela representa um caminho de cerca de quatro quilômetros, que passa por bosques e prados para chegar ao rio Fiora que, com uma pequena cachoeira, cria o pequeno lago Pellicone. Nas suas águas nadam as lontras, que são o símbolo deste oásis natural. Não será difícil vê-los e, com um pouco de sorte, você também poderá conhecer alguns exemplares de raça albina de jaleco branco que caracterizam este lugar de Vulci. Nas margens da lagoa você também pode ver algumas garças, flamingos, patos selvagens e outras espécies migratórias. Estamos falando de um pequeno paraíso natural.

A singularidade do Parque Naturalista e Arqueológico Vulci consiste em apresentar um programa completo, distinto entre a cidade etrusca, a necrópole, e do museu. Dentro dos caminhos protegidos você atravessa extensas áreas de pastagem populares com Maremma e cavalos selvagens.  O Percurso do oásis dura em media 45 min e você paga somente o ingresso no Parque e pode caminhar sozinho.

castelo de vulci castello di vulci lazio 11

Informação:
Parco Naturalistico e Arqueológico de Vulci:
Horário:
De 1º de janeiro a 31 de março: das 09:00 h às 17:00 h
De 1º de abril a 30 de junho: das 09:00 h às 18:00 h
De 1º de julho a 31 de agosto: das 09:00 h às 19:00 h
De 1º de setembro a 30 de setembro: das 09:00 h às 18:00 h
De 1º de outubro a 31 de dezembro: das 09:00 h às 17:00 h
Fechado: 25 de dezembro e 1º de janeiro
Fechamento antecipado nos dias 24 e 31 de dezembro
Preço dos ingressodo parque : 10 euros adulto, mas do Castelo com museu, somente 2 euros.

castelo de vulci castello di vulci lazio 6 castelo de vulci castello di vulci lazio 14 castelo de vulci castello di vulci lazio

 

Mais dicas:

Saiba mais:

*Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

 

♦ Mapa                                                                                     

The following two tabs change content below.
Deyse Ribeiro
Deyse Ribeiro mora na Toscana desde 2007, onde é guia de turismo habilitada, autora do blog Passeios na Toscana. Ela trocou as colinas de Minas pelas colinas do Chianti, o queijo mineiro pelo pecorino e a cachaça do interior pelo vinho Brunello, e começou uma vida nova “sob o sol da Toscana”. Entende o complexo mundo do turismo na Itália, é especialista em trufas (tartufo), fez curso de sommelier, e apaixonada por arte e história. Em 2017 abriu o Passeios na Toscana Reservas Turísticas.

One Comment

  1. Juliana Proença / 23/06/2018 at 12:24 /Responder

    Gente, que lugar lindo!!! Amei! Obrigada pela dica!

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.