By

Share on Facebook501Tweet about this on TwitterShare on Google+2Pin on Pinterest0Share on Tumblr0Email this to someonePrint this page

Montepulciano d’Abruzzo DOC é um vinho antigo, mencionado pelos romanos, e que nasce numa área montanhosa e natural da região do Abruzzo. Hoje é um dos vinhos mais produzidos e apreciados da Itália.

O Abruzzo


Abruzzo é uma região muito montanhosa, é o lar de alguns dos picos mais altos dos Apeninos (Gran Sasso, Majella, Monte Velino). Montanhas que vão até o Mar Adriático, formando um litoral que varia de ser selvagem ao sul,  e praias grandes e lotadas no norte. O encontro entre o mar e as montanhas, é claro, também influencia o clima, à medida que saimos do litoral para o interior, pouco a pouco vai ficando cada vez mais chuvoso e com a diminuição da temperatura.

Uma área que oferece vastas áreas, selvagens e intocadas e possui três parques de interesse nacional, um parque regional e cerca de 38 áreas protegidas. Este é, em termos gerais, o berço do Montepulciano d’Abruzzo DOC, isto é, por si só, mais de 80% dos vinhos DOC produzidos em Abruzzo e que está entre os três primeiros vinhos DOC produzidos na Itália.

Para não confundir

Montepulciano é um nome que pode gerar alguma confusão, pois Montepulciano é o nome de uma variedade de uva vinífera, nativa da Itália, que remete a amoras pretas, e a cereja. Os vinhos Montepulciano d’Abruzzo são produzidos com pelo menos 85% dessas uvas, e são produzidos na região de Abruzzo.

Não devemos confundir com a cidade de Montepulciano na Toscana, que é também é produtora de vinhos. Nesta cidade é feito o Vino Nobile di Montepulciano DOCG, que não é feito com as uvas Montepulciano, como o Montepulciano D’Abruzzo DOC, portanto é passível de confusão, mas são coisas completamente diferentes, e vinhos diferentes ok?

Para saber mais de Montepulciano, leia o texto no Passeios na Toscana aqui.

Vigneti Rebberg Montepulciano dAbruzzo vineyards

As características do Montepulciano d’Abruzzo

Montepulciano d’Abruzzo DOC apresenta uma cor vermelha profunda, rubi, que com o envelhecimento escure, dando um tom granada, no nariz  é floral e frutado, com notas de frutas vermelhas e especiarias, o paladar é seco, suave e tânico. Ele tem quase exclusividade de uvas da mesma variedade, que pode ser adicionada ao vinho, para uma quantidade não superior a 15% de outras uvas de escuras permitidas para o cultivo em Abruzzo.

As vinhas são geralmente encontrados em terreno montanhoso ou planalto, a uma altitude que não deve ser maior que 500acima do nível do mar. Um vinho hoje muito apreciado, mas que tem atrás de si uma longa história.

O Montepulciano d’Abruzzo goza a designação de origem controlada DOC, desde 1968. Um reconhecimento que envolve algumas dificuldades na produção destinada a proteger a qualidade, bem como nos modos de cultivo. O órgão responsável em verificar que tudo será respeitado é o Consorzio per la Tutela dei vini d’Abruzzo (Consórcio para a Proteção dos vinhos do Abruzzo), uma associação de agricultores e produtores que trabalha para a protecção e valorização do território e seus produtos melhores.

Montepulciano d Abruzzo 02 RaBoe

A partir de uvas Montepulciano d’Abruzzo se produz também um vinho com caracteres finos e especial chamado “Cerasuolo“, uma vez que se assemelha a cor do Cerasa (cereja) justamente madura. É um vinho frutado lembra de pequenos frutos vermelhos, fresco, macio, encorpado e fácil de beber, que acompanha todos os pratos. O este vinho, finalmente, em 2010, ele recebeu um D.O.C. e é mais considerado o “caçula” de Montepulciano d’Abruzzo.

O Montepulciano D’Abruzzo possui DOC, como já explicado acima, porém em 2003, foi dada a sub-região Colline Teramane o DOCG (denominação de origem protegida e garantida). Veja algumas diferenças entre eles são:
– uvas utilizadas: no DOCG temos Montepulciano (90%-100%) e Sangiovese (0-10%)
– envelhecimento: o DOCG precisa de, no mínimo, 2 anos, dos quais são obrigatórios 12 meses em barril e 6 meses em garrafa, enquanto o DOC precisa envelhecer, no mínimo, até o dia 1o de março do ano seguinte à safra.

Dicas:

  • Geralmente apresenta baixo teor alcoólico (12,5 %).
  • Deve ser consumido em 5 ou 6 anos da safra
  • Para apreciar melhor um Montepulciano d’Abruzzo, escolha uma refeição à base de carne grelhada ou uma massa ao molho bolonhesa. Ou, se preferir, harmonize com um queijo curado, ou mesmo um risoto.

Montepulciano d Abruzzo 01 RaBoe

A história e as origens de Montepulciano d’Abruzzo DOC

A origem da viticultura Abruzzi é muito antiga. Numerosos documentos históricos mostram que a uva Montepulciano está presente na região desde meados de 1700 e encontrou nesta terra o seu local preferido. Cultivado no passado, no Vale do Peligna, na província de L’Aquila e nas colinas do interior da província de Pescara, desde 1950 o cultivo da uva Montepulciano se espalhou para todas as colinas costeiras e hoje é a principal variedade de uva escura do Abruzzo.

Algumas versões da história dizem que a uva que foi importada para o Abruzzo por um viajante que, no século XIX trouxe a uva da Toscana para Abruzzo dando lugar a um cultivo rentável e longos séculos. Já Michele Troia, um historiador do século XVIII, diz em um artigo que o Montepulciano nascido no Valle Peligna, em Abruzzo. As diferentes versões sobre a origem também é misturada com a legenda de Políbio, historiador grego-romano, que conta  que Annibale dava aos seus soldados o Montepulciano d’Abruzzo , fazendo-los a curar da sarna. Existem vestígios de Montepulciano também em Ovídio, em “Metamorphoses”.

Montepulciano d Abruzzo 05 RaBoe

Os vinhos da região de Abruzzo

Vinhos Denominação de Origem Controlada e Garantida DOCG

  • Montepulciano d’Abruzzo Colline Teramane  – Tinto, também na versão Reserva. produzido na província de Teramo

Vinhos com denominação de origem DOC

  • Controguerra –  Branco e tinto, nos tipo normal, Frizzante, Passito e Passito Annoso, Novello, Moscato Amabile; produzido na província de Teramo
  • Montepulciano d’Abruzzo – tinto, nos tipos normal e reserva, produzido nas províncias de Chieti, L’Aquila, Pescara e Teramo
    • Montepulciano d’Abruzzo subzona “Casauria” ou “Terre di Casauria;
    • Montepulciano d’Abruzzo subzona “Terras de Vestini”
  • Trebbiano d’Abruzzo  – tinto, nos tipos normal e reserva, produzido nas províncias de Chieti, L’Aquila, Pescara e Teramo
  • Cerasuolo d’Abruzzo – nos tipos normal e reserva, produzido nas províncias de Chieti, L’Aquila, Pescara e Teramo
  • Terre Tollesi ou Tullum –  tinto, branco e nos tipos: novello, normal e reserva

Cerasuolo dAbruzzo 2010 Valentini

 

*Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

The following two tabs change content below.
Deyse Ribeiro
Deyse Ribeiro mora na Toscana desde 2008, onde é guia de turismo habilitada, autora do blog Passeios na Toscana. Ela trocou as colinas de Minas pelas colinas do Chianti, o queijo mineiro pelo pecorino e a cachaça do interior pelo vinho Brunello, deixou pra trás o diploma de advogada e começou uma vida nova “sob o sol da Toscana”. Entende o complexo mundo do turismo na Itália, é especialista em trufas (tartufo), estudante de sommelier profissional, e apaixonada por arte e história.
 

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.