By

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Tumblr0Email this to someonePrint this page

Quando pesquisamos sobre o que fazer em Cortina d’Ampezzo, logo nos vem em mente o esqui e todos os outros esportes praticados na neve. Cortina é, sim, uma meta para os apaixonados pelo esqui, mas não só! Eu que nunca pus um par de esqui nos pés, me diverti fazendo várias outras coisas lá!

Cortina d’Ampezzo era uma das etapas do nosso roteiro no Vêneto, organizado pela agência parceira do blog. Já tinha visitado o lugar alguns anos atrás, em um mês de outono, lembro que era baixa temporada e muitas coisas estavam fechadas para férias. Desta vez, pude ver a cidade com outros olhos e aproveitar a cidade que merece muito mais que um simples bate e volta, como havia feito da outra vez.

 

Cortina d’Ampezzo: curiosidades sobre a Rainha das Dolomitas

Apelidada de “Rainha das Dolomitas”, Cortina d’Ampezzo está localizada no norte da região do Vêneto, na parte oriental da cadeia de montanha das Dolomitas. A pitoresca cidade tem uma reputação formidável como estação de esqui, tanto que sediou os Jogos Olímpicos de Inverno em 1956. No entanto, Cortina pode ser visitada em qualquer período do ano.

Cercada por todos os lados pelos picos rochosos das Dolomitas, uma verdadeira atração de Cortina d’Ampezzo é a sua paisagem maravilhosa. É impossível não ficar extasiado com a imponência das montanhas. Cortina é o único destino italiano que faz parte da associação europeia Best of the Alps, a qual reúne as 12 localidades mais famosas e exclusiva dos Alpes (para quem não sabe, as Dolomitas são uma seção dos Alpes).

Cortina dAmpezzo8

O que fazer em Cortina d’Ampezzo

Visitando a fora da temporada de inverno, por exemplo, dá para descobrir um lado muito diferente da cidade e desfrutar do ambiente vibrante verão. Já no inverno, você vai encontrar a área cheia de turistas carregando seus esquis para cima e para baixo. A cidade mantém sua popularidade durante grande parte do ano, e há várias coisas para fazer durante a sua estadia, principalmente ao ar livre.

Veja as minhas dicas do que fazer durante a sua permanência em Cortina:

1) Passear pelo centrinho

Cortina d’Ampezzo é uma daquelas cidadezinhas cujo centro histórico é um ótimo lugar para passear e degustar um bom chocolate quente. A rua principal é o Corso Italia, repleta de lojas (a maior parte de luxo!) e cafés.

Cortina dAmpezzo5

A grande e histórica loja cooperativa da cidade armazena tudo o que você poderia imaginar. Há um supermercado onde é possível comprar lanchinhos para preparar piqueniques e uma gama completa de excelentes guias de turismo e montanhismo. Olhando em torno de outras lojas da cidade você encontrará boutiques, roupas de montanha e uma grande variedade de artesanato local.

cortina

A Cooperativa de Cortina é como uma grande loja de departamentos. Tem tudo lá!

Cortina dAmpezzo6

Ruas elegantes, varandas floridas e casas charmosas. O centro de Cortina é encantador. Do ponto de vista cultural, vale a pena visitar a Basílica de São Felipe e Tiago (a torre da igreja praticamente saiu em quase todas as minhas fotos!), construída no século XVII, a Igreja de Nossa Senhora de Defesa e a pequena Igreja de San Francesco, uma das mais antigas da área.

Cortina dAmpezzo9

A lindinha igreja de San Francesco

 

2) Visitar os museus

No centro de Cortina d’Ampezzo há três museus. Existe uma galeria de arte moderna, um museu paleontológico e um dedicado às tradições de Cortina, o museu etnográfico ‘Regole d’Ampezzo’.

Cortina dAmpezzo2

O Museu Paleontológico

O Museu ao Ar Livre do Grande Guerra, no entanto, é um dos mais interessantes, é um verdadeiro tesouro histórico a céu aberto que se desenvolve ao longo de trilhas que contam os momentos da guerra entre o exército italiano e o do Império Austro-Húngaro. A área é muito extensa e inclui a área de Lagazuoi, a 5 Torri, Sasso di Stria e Museu Forte Tre Sassi, onde ainda é possível ver objetos e jóias que pertenciam aos soldados. Durante o inverno, é possível chegar a este museu através de um Ski Tour.

Para chegar a este museu você precisará dirigir ou pegar um ônibus e, em seguida, subir as pistas seguindo pelas trilhas ou de teleférico. Colete informações e os últimos horários de abertura do escritório de informações em Cortina, e lembre-se de equipar-se adequadamente para uma expedição para as alturas.

 

3) Fazer trekking

trekking 1

Sabia que há mais de 400km de trilhas para caminhadas na área ao redor de Cortina d’Ampezzo? A maioria das rotas são bem sinalizadas e muitas delas podem ser feitas por conta própria, sendo adequadas para todos os tipos de preparo físico.

No ponto de informações turísticas da cidade pegamos vários mapinhas com as rotas possíveis de se fazer por conta própria. Uma delas, bem ao redor de Cortina, dava para ser feita até mesmo no inverno e com neve, desde que com calçados adequados (impermeáveis e anti-derrapantes). A trilha mais simples durava cerca de 30 minutos, enquanto aquela mais longa durava cerca de 3h, com um desnível de 865m.

Cortina dAmpezzo11

E ao fazer trekking por Cortina você ainda se depara com paisagens assim…

Para quem gosta de se aventurar em trilhas mais complicadas, nas montanhas há refúgios (cabanas de montanha, que muitas vezes fornecem comida e até mesmo quartos para a noite, se necessário), e isso oferece muita liberdade para explorar as muitas trilhas.

Uma dica: nos meses do verão, quando não há neve, é possível fazer uma carteirinha chamada Trekking Pass. Com ela você pode subir de teleférico até o alto da montanha, e de lá só ir descendo. Já se evita a fadiga da subida, né? Veja mais informações sobre o Trekking Pass aqui neste site.

 

4) Divertir-se no “Estádio do Gelo”

O estádio de Cortina foi construído para os Jogos Olímpicos de Inverno de 1956 e tem uma área para patinação e jogos de hóquei de mais de 4000m². Inicialmente era uma estrutura ao ar livre, mas alguns anos atrás foi reformada e fechada com placas de aço e vidro, o que permite que o estádio seja usado no verão ou em mau tempo.

Cortina d'Ampezzo

O estádio de Cortina por fora.

Ele fica aberto ao público (qualquer pessoa pode ir!), tanto no verão quanto inverno, e além da pista de gelo, há também um bar, um parque infantil, sauna um campinho de golfe e vários vestiários. No verão, são realizados vários eventos e shows, inclusive a Ice Disco Dance (discoteca no gelo!).

Estadio de cortina

e por dentro. Foto: WikiCommons

É possível alugar patins para patinar na pista de gelo. O aluguel e uso dos patins por 1h custa 10 euros.

O estádio de Cortina fica aberto todos os dias, das 10h30 às 16h30. Às quintas, sextas e sábados também abre das 21h30 às 23h.

 

5) Fazer um passeio com moto de neve ou uma “ciaspolata”

Definitivamente não dá para ficar entediado em Cortina d’Ampezzo, quer dizer, basta  ter um pouco de espírito aventureiro e você não ficará. A coisa mais legal que fiz em Cortina foi o passeio com moto de neve e eu agradeço à minha companheira de viagem, Deyse, por ter tido a ideia de contratar esse passeio.

Passeio em Cortina

Na garupa da moto de neve em Cortina

Confesso que inicialmente o medo bateu, afinal a pilota, que seria Deyse, não tinha nenhuma experiência com a geringonça. Pois é, quem guia a moto é você mesmo. Tirando o medo inicial, quando fomos subindo a montanha, a adrenalina tomou conta e foi muito divertido. O passeio foi tão legal que escreveremos um texto específico sobre ele. Aguarde!

Além do passeio com moto de neve, você pode participar de “ciaspolate”, ou seja, excursões a pé com raquetes de neve, descidas com trenó, etc. No verão, além do trekking que citei anteriormente, dá para fazer maravilhosos passeios de bicicleta.

Sila Calabria 25

a ciaspola, ou seja, a raquete

 

6) Degustar a comida típica

A culinária de Cortina d’Ampezzo lembra muito a tirolesa, talvez por causa da proximidade geográfica. Portanto, muitos pratos típicos de Cortina levam ainda os nomes alemães originais. Muitos pratos são de tradição popular, geralmente pobres, mas ricos em sabor e tradição.

Uma massa típica que vi em todos os restaurantes, era o Casunziei, ou seja, ravioli recheados com beterraba e temperados com manteiga derretida. Tem também os chenedi (uma variação do canederli do Trentino), que são bolinhas de pão recheado com speck ou queijo e servidas com um caldo quente ou manteiga derretida.

Hotel em Cortina12

Bacalhau amanteigado, chenedi com speck, risotto e bisteca de cervo. As delícias que comemos em Cortina.

Entre as carnes, é muito comum encontrar caças (como o cervo) servido com frutas vermelhas e batatas. São sobremesas típicas o strudel de maçã (apfelstrudel alemão), krapfen (rosquinhas fritas recheadas com creme ou geléia de damasco) e a torta Sacher, um doce típico austríaco.

Strudel

O strudel de maçã do resturante do hotel Faloria. Divino!

 

7) Relaxar em um Spa

Em Cortina há muitos centros de bem-estar ou hotéis-spa, equipados com todos os confortos possíveis para dar-lhe umas férias de sonho: piscinas, banheiras de hidromassagem, saunas, tratamentos, massagens, academias, etc. Em um lugar frequentado por tantos vips e desportistas, não poderia ser diferente, não é mesmo?

Hotel em Cortina8

A piscina coberta do nosso hotel em Cortina,o Faloria Mountain.

 

Onde dormir em Cortina d’Ampezzo

Passamos duas noites no lindo resort Faloria Mountain, um daqueles típicos hotéis de montanha com spa, todo de madeira. O hotel ficava a poucos quilômetros do centro de Cortina d’Ampezzo. Leia AQUI meu review sobre ele.

 

Como chegar a Cortina d’Ampezzo

O aeroporto mais próximo a Cortina é o de Veneza. Se você se encontra em Veneza ou Treviso, há um ônibus que liga essas duas cidades a Cortina (veja aqui).

Em Cortina não tem estação de trem, a mais próxima é a de Calalzo di Cadore, de onde parte um serviço de ônibus cujos horários coincidem com os de chegada dos trens. Nos fizemos um texto somente com opções de como chegar em Cortina, veja  –> Como ir para Cortina D’Ampezzo nas Dolomitas

Ou ainda, você pode fazer como nós e viajar para Cortina com um pacote de viagem totalmente organizado. Veja AQUI as opções da agência parceira do Itália para Brasileiros.

 

Nota: Eu participei desta viagem como convidada pela agência parceira do Itália para Brasileiros. Caro leitor, a cortesia não condiciona este texto, ele faz parte de uma série de textos baseados nas minhas experiências durante esta viagem. Todos serão identificados. Não recebi dinheiro para escrever, portanto tenho total liberdade editorial e garanto o respeito aos meus leitores.

blogtrip

 *Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

♦ Mapa                                                                                     

The following two tabs change content below.
Patrícia Kalil
Patricia Kalil, graduada em administração de empresas, mora na Sicília desde 2007 e é autora do blog Descobrindo a Sicília. Ela deixou o calor e as festas de Salvador para abraçar as belezas de outro lugar tão acolhedor quanto a Bahia e mergulhou na cultura e na história milenar da Sicília. Apaixonada desde sempre por viagens e pela língua e cultura italiana, acabou unindo o útil ao agradável e decidiu espalhar aos quatro ventos que a Sicília merece ser vista.

10 Comments

  1. Cassia Garcia / 07/03/2017 at 02:46 /Responder

    Adorei o seu relato Patricia! Estou indo agora no final de marco, mas estou preocupada. Sera que ainda pego neve nas estradas? Outra coisa, terei que selecionar o que realmente fazer pois nao terei muito tempo para ficar na regiao. Qual a mais interessante e quanto tempo se leva para fazer as trilhas do Museo ao ar livre do Grande Guerra? Obrigada

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 07/03/2017 at 11:42 /Responder

      Olá Cassia,

      Algo que eu não citei no post é que nós não pegamos neve na estrada. Essa neve toda que você vê nas fotos é na beira da estrada! Isso porque, quando cai neve, passa um caminhão derramando sal para fazer com que a neve derreta e não provoque acidentes.

      Para poder te indicar melhor, precisaria saber quanto tempo você ficará em Cortina. Te aconselho pelo menos a fazer um passeio no centro e uma excursão, seja ela com as raquetes de neve, com a moto de neve, é sempre algo muito divertido.

      Como em março a trilha para o Museu da Guerra ainda estará com neve, você pode adquirir uma excursão com esquis. Dura 6h no total (2h30 para ir, 2h30 para voltar e 1h no museu). A excursão é essa aqui: https://www.partner.viator.com/pt/16296/tours/Cortina-dAmpezzo/Dolomiti-and-First-World-War-Sites-Ski-Tour-from-Cortina-dAmpezzo/d25557-16126P1

      Um abraço,

      Patricia

  2. Mônica / 05/04/2017 at 16:41 /Responder

    Olá! Achei muito legal as suas dicas. No mês de maio ainda encontro neve?? Obrigada!

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 05/04/2017 at 16:46 /Responder

      Olá Mônica, que bom que gostou das minhas dicas!

      Já não há mais neve no centro de Cortina, só nas montanhas. Em maio não haverá mais nada, mas será um ótimo período para fazer trekking!

      Um abraço,

      Patricia

  3. Joanna / 02/07/2017 at 15:33 /Responder

    Ola, adorei as informaçoes sobre a cidade! Irei morar em um condominio com esse nome!! Amei a cidade e suas dicas!! Muito bom!! Abraços.

  4. LIVIA BIGOLOTI VERDERIO / 07/09/2017 at 19:40 /Responder

    Olá! Estou planejando ir A Cortina bem no final do ano.. lá pelo dia 30 de dezembro… irei de carro, nunca dirigimos na neve, é complicado? Devo tomar alguma precaução? Seria melhor me hospedar em alguma cidade próxima e ir de onibus? Obrigada, adoro seu blog! 🙂

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 08/09/2017 at 11:10 /Responder

      Olá Livia,

      As estradas não ficam cobertas de neve, pois seria muito perigoso. Quando neva, um veículo derrama sal na pista para que a neve derreta. De qualquer maneira, verifique com a locadora se o carro terá pneus de inverno (provavelmente sim, mas não custa nada certificar-se).
      Nós viajamos em pleno inverno e não encontramos, felizmente, neve e nem gelo na pista. O carro não tinha pneus de inverno, mas era dotado de correntes que deveríamos montar nos pneus caso houvesse gelo na pista.

      Ah, vale lembrar que o final de ano em Cortina é altíssima temporada, por isso reserve seu hotel com antecedência!

      Um abraço,

      Patricia

  5. Alessandro / 01/10/2017 at 15:38 /Responder

    Muito legal seu posto, vou chegar em Milão dia 13/12 de lá vou a Cortina do dia 16 a 19/12 finalizando em Veneza até dia 22. A minha dificuldade está em organizar o trajeto de Milão à Cortina. Indo direto de trem e ônibus vou chegar lá praticamente no final da tarde.
    Indo por Veneza consigo chegar as 09h na estação Mestre, mas não estou conseguindo transporte de Veneza para Cortina de manhã, vc pode me ajudar?
    Obrigado!

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.