O Museu Egípcio de Turim

 •  6

By

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest1Share on Tumblr0Email this to someonePrint this page

Turim e o Egito têm uma relação antiga e profunda. Apesar de serem dois lugares completamente diferentes, há uma coisa que os liga: o Museu Egípcio de Turim, o segundo mais importante do mundo, perdendo somente para, claro, aquele do Cairo.

A primeira vez que estive no Museu Egípcio de Turim foi em 2005, tinha pouco mais de 20 anos e aquele lugar me fascinou imensamente. Dez anos depois voltei lá e a emoção foi ainda maior.

O Museu Egípcio de Turim fica em um palácio barroco do século XVII e foi criado em 1824, o que faz dele o museu egípcio mais antigo do mundo. Tudo começou quando, naquele ano, Bernardino Drovetti, cônsul no Egito, vendeu a Carlos Félix de Saboia sua coleção de múmias, papiros e estátuas por uma verdadeira fortuna. Desde então a coleção foi se enriquecendo com os achados provenientes de escavações realizadas por um importante arqueólogo e diretor do museu no final do século XIX, Ernesto Schiaparelli, e pela chamada Missão Arqueológica Italiana que aconteceu entre 1900 e 1935.

Depois de 5 anos em reforma, o Museu Egípcio de Turim foi reinaugurado em 2015, passando a ser duas vezes maior: são 10.000m² que abrigam agora 3500 peças. É uma visita que ocupa uma manhã ou uma tarde inteira!

O que ver em Turim: Museu Egípcio

 

O moderno mais antigo museu egípcio do mundo

Nada de vitrines empoeiradas ou peças sem identificação, coisa que acontece em muitos museus arqueológicos da Itáia. O novo Museu Egípcio de Turim é totalmente moderno, poderia dizer quase cinematográfico. Em uma ala do museu há até mesmo uma instalação de Dante Ferretti, cenógrafo italiano vencedor de bem três Oscars.

Outras características do museu são os amplos espaços e as esplêndidas vitrines que permitem ao visitante se mover com liberdade, sem barreiras, chegando pertinho das múmias e dos sarcófagos. A ideia de proximidade é tão grande que a sensação é quase como se estivéssemos entrando nas tumbas dos faraós.

museu egípcio de turim 2

Foto: Museu Egípcio – Divulgação

 

O que não deixar de ver no Museu Egípcio de Turim

1. A Papiroteca

Logo no primeiro andar se encontra a papiroteca, que reúne todos os papiros da coleção do museu. Um deles é o “papiro de Iuefankh”, o Livro dos Mortos, que tem mais de 18m de comprimento. Se colocados todos juntos, os papiros medem mais de 200m.

2. A Galeria dos Sarcófagos

Uma galeria que reúne os mais bonitos sarcófagos do período que vai do ano 1100 a.C. ao 600 a.C.

museu egípcio de turim 3

Foto: Museu Egípcio – Divulgação

3. A tumba da Rainha Nefertari

Infelizmente quando a tumba de Nefertari foi descoberta, já tinha sido saqueada e a múmia da rainha não estava mais lá, mas graças a uma reconstrução e a um vídeo 3D é possível imaginá-la como era.

4. A tumba de Maia e Tamit

A tumba do pintor Maia e sua esposa Tamit remonta ao século XIV a.C e foi descoberta em 1905 no Vale dos Reis. A pequena capela funerária é toda decorada com afrescos que ilustram a viagem ao reino dos mortos.

5. As múmias, não só de humanos, mas também de animais

Além de múmias de seres humanos – inclusive crianças – há também múmias de animais, como gatos, peixes e até crocodilos! Os gatinhos, considerados sacros para os egípcios, foram mumificados na típica posição sentada, com as orelhas em pé.

O que ver em Turim: Museu Egípcio

6. A tumba de Kha

Sem dúvida alguma o máximo tesouro do Museu Egípcio de Turim é a tumba de Kha, arquiteto da côrte do faraó Amenhotep III, e sua esposa Merit. A tumba foi descoberta pelo arqueólogo Schiaparelli ainda intacta, lacrada. Estão expostos os sarcófagos e todo o enxoval funerário que conta com cerca de 550 objetos, entre os quais o Senet (um jogo de tabuleiro), a peruca de Merit (conservadíssima, incrível), a caixinha com os produtos de beleza, túnicas de linho, as camas funerárias e até mesmo comida fossilizada.

O sarcófago de Kha.

O sarcófago de Kha.

7. O Templo de Ellesija

É o mais antigo templo rupestre de Núbia, escavado na rocha arenária pelo faraó Thutmosi III (1479-1425 a.C) dedicado ao deus Hórus e à deusa Satet (deusa das plantações), e em seguida a Amon-Rá, o deus do sol. O templo foi doado ao museu pelo governo do Egito nos anos 60 e reconstruído em modo fiel ao original.

8. A Galeria dos Reis

É a sala das estátuas dos reis que encerra a nossa visita ao Museu Egípcio de Turim. Entre as esplêndidas estátuas se destacam a do faraó Ramsés II e a gigantesca estátua de Sethi II, com mais de 5m de altura.

museu egípcio de turim

A galeria dos reis. Foto: Museu Egípcio – Divulgação

O egiptólogo francês Jean-François Champollion, depois de ter visto a então coleção de Carlos Félix, pouco antes de morrer, afirmou que “a estrada para Mênfis e Tebas passa por Turim”. E não é que é mesmo?!

 

Informações úteis

  • O bilhete inteiro custa 13 euros e dá direito a um áudioguia (em italiano, inglês ou árabe);
  • Para quem quiser fazer uma visita guiada, de quarta a domingo às 11h30 parte uma visita com guia. Valor  €5,00 por pessoa + valor do ingresso. É obrigatório reservar através do email info@museitorino.it ou do telefone 011 561 7776.
  • Se der fome durante a visita que, como avisei, vai ser longa, dentro do museu há um imenso Café que ocupa dois andares. Lá é possível tomar um café, merendar ou fazer um aperitivo.

 

Horários de abertura do Museu Egípcio de Turim

  • às segundas-feiras, das 9 às 14h (a bilheteria fecha às 13h)
  • de terça a domingo, das 8h30 às 19h30 (a bilheteria fecha às 18h30)

 

* Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

♦ Mapa                                                                                     

The following two tabs change content below.
Patrícia Kalil
Patricia Kalil, graduada em administração de empresas, mora na Sicília desde 2007 e é autora do blog Descobrindo a Sicília. Ela deixou o calor e as festas de Salvador para abraçar as belezas de outro lugar tão acolhedor quanto a Bahia e mergulhou na cultura e na história milenar da Sicília. Apaixonada desde sempre por viagens e pela língua e cultura italiana, acabou unindo o útil ao agradável e decidiu espalhar aos quatro ventos que a Sicília merece ser vista.
Tags:

6 Comments

  1. Kaio Gomes de oliveira / 21/08/2016 at 14:27 /Responder

    Ola. Meu nome é Kaio e moro em fortaleza. Bom, eu sou fascinado pelas histórias ancestrais e muito curioso em estar presente das peças que fazem parte da história humana. Sou estudante da palavra de Deus e o Egito n deixa de fazer parte dela. Enfim, tenho vontade de ir até o museu porém ñ falo outra língua a não ser a minha, como vc tem experiência e já foi visitar o museu por duas vezes, qual suas dicas para mim de como ir até lá… obg

  2. Estela tozetti / 03/10/2016 at 23:36 /Responder

    Olá Patrícia!
    Você poderia me ajudar? Estarei em Turim entre o natal e o ano novo e sei que é muito frio. Será que conseguirei aproveitar o passeio? Você sabe o que é possível fazer no inverno? Será que os museus funcionam regularmente ou fecham por causa da data? Estou tentando pesquisar mas essas informações não ficam muito disponíveis!
    Abraços
    Estela

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 04/10/2016 at 09:13 /Responder

      Olá Estela,

      O Museu Egípcio funciona normalmente no período das festas de fim ano, exceto no dia 25/12, que não abre. Nos outros dias a abertura é normal, inclusive nos dias 24 e 31/12. Vou aproveitar e inserir essa informação aqui no texto. Obrigada!

      Realmente fará muito, mas muitro frio em Turim naquele período. Você precisará estar com um agasalho e calçados adequados inclusive para temperaturas negativas. Quanto a estragar o passeio, não acredito que estrague, aliás acho um charme a mais. Você já leu o que escrevi sobre as coisas para fazer em Turim? (http://italiaparabrasileiros.com/10-coisas-para-fazer-em-turim/), elas também valem para o inverno!

      Um abraço,

      Patricia

  3. Paulo Augusto / 03/11/2016 at 02:27 /Responder

    Olá Patrícia, tudo bem? Estarei em Turim por apenas um dia e gostaria muito de conhecer o museu. A aquisição do ingresso pode ser antecipada? Posso entrar com mochilas pequenas? Você acha que para conseguir visitar com qualidade as atrações citadas no post necessito de quanto tempo?
    Obrigado pela atenção.
    Att. Paulo Augusto

    • Patrícia Kalil
      Patrícia Kalil / 03/11/2016 at 10:58 /Responder

      Olá Paulo!

      Para visitar o Museu Egípcio com calma, você precisaria de umas 3 horas. Sim, é possível comprar o ingresso online, ele custa 2 euros a mais do que na bilheteria, mas você pula a fila que quase sempre é grande. O site oficial é esse aqui: http://biglietteria.museitorino.it/TICKET/wEgypt/Price/Price.aspx

      Quanto à mochila, fui verificar essa informação porque não tive problemas ao entrar com a minha bolsa na época, mas ela era pequena. De fato, no site do museu tem escrito que não são aceitas bolsas maiores que 30 x 40 x 15 cm e não é permitido entrar com mochilas, mas você pode deixar a sua no guarda-volumes do museu (custa 1 euro).

      Espero ter respondido tudo!

      Bom passeio!

      Patricia

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.