By

Share on Facebook112Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Tumblr0Email this to someonePrint this page

Saiba como estruturar seu roteiro na Puglia, na região do Gargano, a mais selvagem e bonita do “salto da bota”, com praias incríveis, mar azul e ilhas paradisíacas. Conheça Vieste, Mattinata, Peschici, Rodi, e outras cidades no Gargano.

A península de Gargano é uma das regiões costeiras mais atraentes do sul da Itália. Fica em um promontório no Mar Adriático, ao norte da região Puglia (Apúlia). O centro do Gargano é uma região isolada de colinas e montanhas, muitas das quais fazem parte do Parque Nacional do Gargano, enquanto a região costeira é uma mistura de paisagens impressionantes, com penhascos mergulhando na costa e intercalados com praias e resorts.

Durante muitos séculos, a região foi visitada apenas por peregrinos a caminho do Santuário de Monte Sant’Angelo e ainda há pouco desenvolvimento importante nas regiões mais altas de Gargano, mas abaixo, nas colinas e ao redor da costa há várias cidades de interesse histórico e agora muitas delas são áreas balneárias populares e ainda “selvagens” que atraem a maioria dos visitantes para o Gargano.

gargano puglia tremiti 56

Pode parecer estranho eu dizer de áreas balneárias”selvagens”, sendo uma região popular italiana. Mas é isso mesmo. A sensação que fica quando você viaja pelo Gargano é que muitas área são muito mal exploradas (ainda bem) e as cidades litorâneas tem pouca estrutura nas praias e de transporte, então isso acaba impedindo assim a “invasão” que você tem na outra parte da Puglia, no Salento. As cidades mais vivas e com muita estrutura são Vieste e Peschici.

As praias de areia de fácil acesso possuem estruturas balneárias com cadeiras, guarda-sois, bar, porém a maioria é de acesso à pé e são um verdadeiro paraíso… o que eu prefiro!

O Parque Nacional do Gargano foi estabelecido para garantir que, embora a costa esteja bastante desenvolvida, a parte interior da península de Gagano seria protegida e preservada para as gerações futuras.

O Gargano oferece um ambiente diversificado com uma variedade de lugares interessantes para visitar e pode facilmente passar uma semana ou mais a ver suas atrações, como eu fiz na minha última viagem. 

gargano puglia tremiti 72

Por isso decidi fazer aqui uma  espécie de “Guia” para ajudar a montar um roteiro para esta região. Porque vendo na lista as cidades mais interessantes e atividades que podem lhe interessar, fica mais fácil montar um roteiro na Puglia não é?

Quando ir para Gargano

No final de abril à maio é provavelmente o melhor momento para visitar quando o perfume de flores de citrinos preenche o ar e as muitas espécies de orquídeas e outras flores florescem na floresta.

 Já em Junho ou Setembro também são bons meses para ir. Porém os meses de Julho e Agosto são os mais lotados quando os turistas se reúnem para as praias. A Páscoa também é uma época popular para visitar.
Monte Sant ‘Angelo e San Givoanni Rotondo são visitados a maior parte do ano, embora janeiro e fevereiro não sejam recomendados por causa do frio.

Destaques do Gargano – O que ver e fazer

Vamos a lista?

Cidades interessantes:

1. Rodi Garganico

Muitos visitantes chegam a Rodi Garganico principalmente por causa de sua localização costeira, com extensas praias de areia que recebem já a vários anos o prêmio Bandeira Azul pela limpeza e instalações.

Estas praias, com cerca de quatro quilômetros de extensão, correm ao longo da costa, em ambos os lados da cidade, que se encontra em um promontório elevado acima de um porto.

Embora seja a cidade com as mais longas praias de areia, que atraem visitantes até aqui, não deixe de explorar o interessante centro de Rodi Garganico, é medieval e bem conservado. Há ainda um porto moderno onde você pode pegar o barco para as Ilhas Tremiti no verão, além de diversos resorts de praia.É conhecido por seus limoeiros e laranjais. 

2. Peschici

Este slideshow necessita de JavaScript.

Peschici é uma pequena cidade no topo de um promontório de penhasco que se eleva a mais de 100 metros acima do mar Adriático, com vista para a baía. Para aqueles que amam o mar, Peschici tem praias famosas. Mais a leste ao longo do litoral, você observa numerosas torres defensivas como a Torre di San Sfinale – a leste de Peschici – e muitos arcos costeiros como o Arco de San Felice – ao sul da praia de Scialmarino.

Uma visita a Peschici pode começar na pitoresca cidade velha, caracterizada por casas pintadas de branco que descem para o mar e com ruas estreitas que relembram as cidades árabes. É aqui que você pode ver o ‘Porta della Ponte‘ ao lado da Torre Imperial. O centro histórico de Peschici contém várias igrejas de interesse, incluindo a Igreja de São Elias e a Igreja do Purgatório.

Ainda no centro tem o Castelo de Peschici, que, de acordo com estudos recentes, data de 970, quando os bizantinos construíram uma série de fortificações, que foram posteriormente aumentadas pelos normandos. Em 1239, o castelo foi gravemente danificado após um cerco pelos aliados venezianos do papa contra Frederick II, que o reconstruiu. Na era espanhola, o castelo formou uma das mais importantes defesas contra os turcos na Apúlia. O castelo foi restaurado novamente no século 18. Hoje os turistas podem visitar o porão – dentro você pode ver um poço grande, que provavelmente foi usado para armazenamento de trigo.

Desfrute de peixe fresco diretamente do mar no Trabucco di Mimi pertinho do centro (mais abaixo)

3. Vieste:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na ponta da península, Vieste tem muitos resorts à beira-mar e um centro histórico interessante com muitas escadarias.

As praias daqui merecem um texto à parte! A praia Pizzomunno é incrivelmente bela. A baía de Pugnochiuso é uma das mais atraentes da região. Também há cavernas para visitar, como as de S. Nicola Del Saraceno, Lina, Salata e Caprezza, algumas das quais só podem ser alcançadas por mar e que Patricia já contou aqui no texto -> Passeio de barco na Puglia: à descoberta das grutas do Gargano

No centro da cidade você encontrará ruas estreitas, lojas típicas, vistas espectaculares, além de um castelo com vista para o mar. Passei horas caminhando e “curiosando” pelo centro, uma delicia! O castelo não é aberto à visitas, mas é possível admirar as praias lá do alto. No centro ainda há um curioso museu de fósseis!

4. Mattinata:

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cidade esta situada aos pés do “Monte Sacro”, em uma colina conhecida na antiguidade como “Dodoneo” e em que há um antigo templo. Mattinata possui lindas praias de areia, bem como um centro original, a uma curta distância do mar e com pequenas ruas estreitas, antiquários e edifícios históricos para explorar. Vale a pena fazer o passeio de barco para conhecer as inúmeras cavernas e praias!

5. Monte Sant’Angelo:
Monte Sant'Angelo e o Santuário de São Miguel Arcanjo

A atraente cidade de Monte Sant’Angelo é conhecida pelo santuário do Arcanjo Miguel e pelo Santuário de Monte Sant’Angelo. É o destino final da rota de peregrinação de San Severo que passa por San Marco em Lamis e San Giovanni Rotondo. Mais sobre a cidade no texto -> Monte Sant’Angelo e o Santuário de São Miguel Arcanjo

6. Manfredonia

Este slideshow necessita de JavaScript.

Manfredonia, com vista para o maior golfo do Adriático Centro-Sul, é o principal porto da província de Foggia. Fundada em 1256 em homenagem ao rei Manfredi, filho de Frederico II de Suábia, Manfredonia possui importantes testemunhos históricos e arquitetônicos: a Igreja de Santa Maria Maggiore e a Abadia de San Leonardo, ambas datadas do século 11, o Castelo  e o Palazzo dei Celestini, e uma área arqueológica. Ainda parte do territorio de Manfredonia é Siponto, área de praias de areia e mar calmo, ao qual a cidade portuária está conectada por um caminho pedestre que leva pela área arqueológica até a Basílica de Santa Maria.

7. Ilhas Temiti:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Também conhecida como “Diomedee”, por causa do herói grego Diomedes, que fugiu da Guerra de Troia, os Tremiti são um verdadeiro paraíso no coração do Adriático. Foi local de refúgio dos opositores políticos no período dos Bourbon, do qual vem o sotaque napolitano típico dos habitantes locais. As ilhas Tremiti são o local ideal para umas férias relaxantes e para quem gosta de viver o mar, mergulhando e admirando a beleza de seus cenários, que hoje são parte de uma Reserva Marinha.

As ilhas são 5, San Domino, San Nicola, Cretaccio, Caprara e Pianosa. Um edifício extraordinário fica no ponto mais alto da ilha de San Nicola, a Abadia-Fortaleza foi meu cenário todos os 3 dias que fiquei na Ilha de San Nicola, para ver o pôr do sol. Aguarde que ainda farei um texto somente sobre essas ilhas!

Lugares interessantes:

1. O Santuário de Padre Pio Santuário em San Giovanni Rotondo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

É um local de peregrinação muito popular. Existe um museu dedicado ao Padre Pio e os visitantes podem ver seu túmulo e seu corpo incólume. A nova Igreja de Padre Pio foi desenhada por Renzo Piano para acomodar o grande número de peregrinos. Logo faremos um texto somente sobre este local, aguarde!

2. Floresta Umbra:
Gargano Floresta Umbra

É um parque nacional, é o centro florestal da península. Existem muitas trilhas para caminhadas e um pequeno centro de visitantes. No verão, é um ótimo lugar para escapar do calor. Fique ou coma no Rifugio Sfilzi onde você pode experimentar produtos locais, incluindo a massa caseira (é necessário fazer reservas). Leia mais sobre -> Gargano, Puglia: conheça o Monte Sacro e a Floresta Umbra

3. Santuário de São Miguel Arcangelo em Monte Sant’Angelo:

Santuário de São Miguel Arcanjo

Segundo a tradição católica, o arcanjo teria aparecido ao bispo de Siponto no ano 490 e ordenado a construção de um santuário para o culto em seu louvor. Trata-se da Gruta de São Miguel Arcanjo, que em 2011 foi reconhecida como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, dentro da lista “Os longobardos na Itália”. A Gruta de São Miguel Arcanjo, além de toda a história de devoção, é também considerada uma das dez grutas sacras mais bonitas do mundo. É a única na Itália! Saiba mais no texto -> Monte Sant’Angelo e o Santuário de São Miguel Arcanjo

4. Lago di Varano e Lesina:

strada laghi lesina varano tra le strade piu belle italia

Os lagos – Foto: Il Resto del Gargano

Na encosta do norte do Gargano estão dois lagos costeiros, Lago Lesina e Lago de Varano, entre eles o maior é o de Varano, que também é o maior lago costeiro da Itália, mas o mais fascinante é as misteriosas lendas locais.

A lagoa de Varano, às margens da cidades de Cagnano Varano, Ischitella e Carpino, está rodeada por tufos, penhascos e olivais, que são a pedra angular da história e das tradições. Entre as tantas história esta a da Igreja do Crucifixo, que segundo a lenda, possui um crucifixo que reproduz a face real de cristo na cruz. É possível durante o passeio observar os pescadores em “plena ação” ou observar a grande quantidade de pássaros, pois no lago ainda há uma reserva naturalística.

5. Trabucco ou Trabucchi: 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma tradição local que remonta ao tempo dos fenícios é a de pescar com o chamado “Trabucchi”, um sistema de pesca muito antigo usado no norte do Gargano, que consiste em pequenas construções de madeira colocados nas rochas que possuem uma grande rede de pesca. São um incrível trabalho de engenharia! Não deixe de visitar, tomar um aperitivo ou almoçar no Trabucco da Mimi, indicadíssimo! Ou ainda você pode admirar o Trabucco di Monte Pucci na mesma região.

6. As cavernas da costa entre Vieste e Mattinata:

Este slideshow necessita de JavaScript.

A costa de Mattinata a Vieste é fascinante: altos penhascos brancos (Falesie) e um mar “azul” infinito. As grutas do Gargano foram escavadas ao longo dos séculos pelo mar e pela ação dos ventos. Antigamente esconderijos de piratas, cada uma delas se distingue por algo único, que pode ser a forma, a cor e por isso foram batizadas pelos antigos pescadores com os nomes mais bizarros. Há muitas grutas entre Mattinata e Vieste e, claro, o melhor modo para conhecê-las é fazendo um passeio de barco. Com certeza é quase impossível ir embora da região e não admirar a Baia degli Faraglioni e a Baia delle Zagare. Saiba mais no texto -> Passeio de barco na Puglia: à descoberta das grutas do Gargano

7. As “calas” das Ilhas Tremiti e a estátua do Padre Pio:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma das lembranças mais fortes da minha viagem pela Puglia no Gargano foi sem dúvida a imagem das incríveis e selvagens “calas”. Cala em italiano é local de mar raso ou pouco profundo, mas que é muito comum para identificar uma pequena baia ou prainha ideal para um banho de mar.  O que mais tinha ao redor das ilhas Tremiti eram essas calas, onde era possível para o barca, fazer um banho, explorar a região e ainda aproveitar o silencio e descansar! Nos alugamos um barco por 2 dias e podemos assim descobrir cada esconderijo das ilhas, das suas cavernas e prainhas… é incrível e nem custa tanto… Um aluguel pelo dia todo é 80 euros, mas se quiser é possível ainda reservar os “taxis aquaticos” que te levam e buscam com hora marcada de 5 a 10 euros por pessoa. Ainda na região é possível imergir e ver a estátua de Padre Pio, até que não é nada religiosa como eu, admira a obra… incrível! A água é tão clara que no passeio de barco é possível ver as pedras no fundo do mar mesmo a metros e metros de profundidade… parece que estamos em um sonho!

Onde ficar no Gargano?

Há várias opções para aproveitar sua estadia no Gargano, eu escolheria 2 ou 3 locais, em base ao tempo de viagem.

  • nas ilhas Tremiti > se você procura calma e tranquilidade, e viver o mar, este é o seu lugar. A ilha de San Nicola, apesar de ter muito menos hotéis que a ilha de San Domino é a que eu escolhi para ficar, dormi 2 noites no – La Casa di Gino (foto acima), um B&B  novinho, com um terraço comum, cenário dos nossos cafés da  manhã com vista para o mar. Nota 10! O Gino te busca de carrinho de golf para levar suas malas no porto! Mas se você tiver filhos, ou quiser uma piscina, pode escolher os vários hotéis tipo resort na ilha de San Domino, com mais opções como o  Hotel Kyrie Isole Tremiti ou o Villaggio Internazionale Punta del Diamante.
  • em Peschici -> confesso que escolher um hotel em Peschici não é nada fácil, porque como há subidas e descidas fica a dúvida… melhor ficar no centro ou perto da praia? Eu optei ficar no meio! Não é meu tipo de hotel preferido, achei bem simples e é um 3 estrelas, mas a localização e a piscina com vista foram o melhor da estadia, fiquei 2 noites e indico o Hotel Incanto. Vi hotéis 4 estrelas muito mais feios e velhos, portanto fiz uma opção temerosa, mas acertei. Fiquei 2 noites.
  • em Mattinata -> eu optei ficar 2 noites em Mattinata porque era uma região mais plana, e próximo aos locais de passeio de barco que eu procurava. Escolhi um hotel novinho, que acabou de inaugurar com um ótimo restaurante… tanto que nem precisei sair de la.. aperitivo à beira da piscina e jantar a luz de velas… delicia! Hotel Torre Santamaria, muito bom. Já Patricia ficou em Mattinata, diretamente na praia mais famosa, no  Hotel Baia dei Faraglioni e adorou!
grutas do Gargano

Hotel da praia de Faraglioni

Roteiro:

Posso indicar um roteiro ideal, misturando um pouco do meu roteiro com o da Patricia que também visto a região:

1 dia – Peschici, Rodi Garganico  e praias – dormir em Peschici

2 dia – Foresta Umbra – dormir em Peschici

3 dia – Vieste e praias – dormir em Peschici

4 dia – Mattinata e passeio de barco –  dormir em Mattinata

5 dia – Mattinata  e Manfredonia com praias –  dormir em Mattinata

6 dia – Monte Sant’Angelo e San Giovanni Rotondo com Santuario di Padre Pio –  dormir em Mattinata

7 e 8 dias –  Ilhas Tremiti – dormir em San Nicola, mas para quem não quiser dormir e visitar as ilhas em 1 dia é possível desde Peschici, ha passeios de1 dia.

Ou aproveitar calmamente mais de 1 dia na cidade que mais gostar.

gargano puglia tremiti 45

Gostou das dicas? Ja conheceu a região? Deixe sua opinião nos comentários!

♦ Mapa                                                                                     

The following two tabs change content below.
Deyse Ribeiro
Deyse Ribeiro mora na Toscana desde 2008, onde é guia de turismo habilitada, autora do blog Passeios na Toscana. Ela trocou as colinas de Minas pelas colinas do Chianti, o queijo mineiro pelo pecorino e a cachaça do interior pelo vinho Brunello, deixou pra trás o diploma de advogada e começou uma vida nova “sob o sol da Toscana”. Entende o complexo mundo do turismo na Itália, é especialista em trufas (tartufo), estudante de sommelier profissional, e apaixonada por arte e história.
 

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.