By

Share on Facebook121Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Tumblr0Email this to someonePrint this page

Conheça mais sobre a região do Valpolicella e os seus vinhos como Amarone e Recioto. E ainda uma dica de uma ótima vinícola para visitar e degustar pertinho de Verona.

Na nossa viagem pela região Vêneto, que contamos AQUI, eu e Patricia, visitamos a região de Valpolicella. Eu como ja disse aqui várias vezes ou amante de vinhos e gosto sempre de estuda-los e aprender sempre mais, portanto aproveito as viagens para conhecer outras vinícolas e vinhos. E nesta viagem não poderia se diferente, já que a região do Vêneto é rica de vinhos!

Fizemos uma visita em duas vinícolas (que se uniram), uma do lado da outra, e foi uma visita foi interessante para aprender mais sobre 2 vinhos que eu já gostava e conhecer um novo, que talvez muitos de vocês não conheçam, o Ricioto.

verona 15

vinícola

Primeiro, vamos conhecer um pouco sobre estes vinhos?

1. Valpolicella

Valpolicella é um vinho tinto de Denominação de Origem Controlada (DOC) produzido na província de Verona. A área de vinhos Valpolicella DOC está em 19 municípios no norte da província de Verona. Duas especificações estão em áreas mais estreitas, uma geográfica, Valpantena para vinhos produzidos nesse vale e Classico para vinhos produzidos na área original dos municípios de  Negrar, Marano di Valpolicella, Fumane, Sant’Ambrogio di Valpolicella e San Pietro in Cariano. Outros municípios, todos de Verona são: Dolcè, Verona, San Martino, Lavagno, Mezzane, Tregnago, Illasi, Colognola, Cazzano, Grezzana, Pescantina, Cerro, San Mauro e Montecchia.verona amarone valpolicella masi 10

Valpolicella é um vinho que nasce de uma mistura de uvas de videiras diferentes, a mais importante é Corvina presente de 45 a 95%, em dialeto local também é chamado Cruina ou apenas Corvina. Também são essenciais são as uvas Rondinella, de 5 a 30%, enquanto  não são mais as de Molinara que saíram da disciplina, mas permanecem entre as permitidas. Outras uvas não essenciais para a mistura para denominação, mas podem estar presentes até um máximo de 25% (e um máximo de 10% cada) são as vinhas da região, como Negrara, Forselina e Oseleta. Corvinone também pode ser usado até um máximo de 50% no lugar de Corvine.

O Valpolicella pode ser classificado e denominado de:

  • Classico: se produzido na sub-área que compreende os municípios de : Fumane, Marano di Valpolicella, Negrar, San Pietro in Cariano, * Sant’Ambrogio di Valpolicella pertencentes ao clássico Valpolicella.
  • Valpantena: se é produzido na sub-área que compreende o vale de Valpantena
  • Superiore: se o envelhecimento do barril tiver lugar durante um período mínimo de 12 meses a partir de 1 de janeiro, após a colheita e o título alcoométrico for superior a 12%.
  • Ripasso: se o vinho antes do refinamento do barril passa por um “repasso” através do bagaço do amarone ou ricioto, acrescentando assim corpo, sabor e grau.

mappaValpolicella

Outros vinhos importantes da área são o Recioto e Amarone (todos 2 trato mais abaixo) que, apesar de ter sua própria denominação, derivam das uvas de Valpolicella. Para a sua produção, as uvas são submetidas ao processo de “appassimento” que trato precisamente mais abaixo.

Então podemos encontrar um vinho Valpolicella com as seguintes denominações:

  • Valpolicella
  • Valpolicella superiore
  • Valpolicella Ripasso
  • Valpolicella Ripasso superiore
  • Valpolicella classico
  • Valpolicella classico superiore
  • Valpolicella Ripasso classico
  • Valpolicella Ripasso classico superiore
  • Valpolicella Valpantena
  • Valpolicella Valpantena superiore
  • Valpolicella Ripasso Valpantena
  • Valpolicella Ripasso Valpantena superiore

Valpolicella é adequado para carnes e queijos brancos e para todas as ocasiões. Já o Valpolicella Superiore, vinho nobre, é adequado para a carne selvagem e os assados.

 verona 16

2. Amarone

O Amarone della Valpolicella é um vinho DOC (Denominazione di Origine Controllata) desde 1968, e em 2009 foi promovido a DOCG (Denominazione di Origine Cotrollata e Garantita). É produzido na região do Veneto, exclusivamente em Valpolicella, província de Verona.

É realizado com uvas típicas da região: corvina veronese (de 45% a 95 %), corvinone que pode substituir a corvina veronese por até 50%; rondinella (5 % a 30 %). Há ainda um outro elenco de variedades de uvas escuras podem ser incluidas, desde que sejam produzidas na província de Verona em até um máximo de 10% no total.

verona amarone valpolicella masi 9

A especificação atual de produção modificou a mistura anterior, que era realizada principalmente de uvas Corvina (40-70%), Rondinella (20-40%) e Molinara (5-25%). Porém, muitas vinícolas mantém a produção antiga com essas 3 uvas, resultando assim em um vinho robusto, encorpado, seco, e de alto teor alcoólico (14 a 17%), possuindo um ligeiro amargor final, que dá o nome ao vinho,”Amarone”.

Amarone della Valpolicella recebe o nome de:

  • Amarone”classico” se produzido na subzona que inclui os municípios de Fumane, Marano di Valpolicella, Negrar, San Pietro in Cariano, Sant’Ambrogio di Valpolicella, todos que fazem parte da Valpolicella classica
  •  Amarone de Valpolicella pode conter a palavra “Valpantena” no rótulo se for produzido no sub-zona específica de Valpantena (como o Valpolicella acima)
  • Amarone com ou sem a menção da área, também pode ser definida “reserva” se ele apresenta um extrato redutor não-mínima de 32,0 g / l e foi submetido a um período de envelhecimento de pelo menos 4 anos a partir de 1 de novembro do ano da colheita.

verona amarone valpolicella masi 13

O vinho é feito com uvas que passaram pelo “appassimento“, ou seja, depois de colhidos, os cachos são colocados prateleiras arejadas e deixados por cerca de três a quatro meses para que percam a concentração de água e aumente a concentração de açúcar. As uvas perdem cerca de 35% a 40% de seu peso, concentrando também aromas. Em determinados anos, alguns cachos são afetados pela Botrytis cinerea, também conhecida como podridão nobre, que beneficia o vinho com mais complexidade e intensidade de aromas.

O Amarone tem um estilo bem particular. É um vinho seco, mas com um leve toque adocicado ao paladar. Perfeito com alimentos de outono e inverno, como assados, carnes recheadas, cozidas, especialmente a carne selvagem. Ótimo também com embutidos, queijos temperados e pratos tradicionais, como “pasta e fasoi” e o mesmo risoto com Amarone.

verona 19

Vinícola

3. Recioto

O Recioto della Valpolicella é um doce vinho tinto DOCG de Veneto, produzido exclusivamente em Valpolicella na província de Verona. É realizado a partir de vinhas nativas, que são as mesmas do vinho Amarone (citado acima).

O Recioto della Valpolicella é o precursor do Amarone,  e tem o mesmo processo produtivo deste, exceto para a parte final onde a fermentação de açúcares que se transformam em álcool é interrompida pela obtendo assim um vinho doce. Na verdade, os rótulos históricos do Amarone carregam a palavra “Recioto Amarone della Valpolicella”.
verona amarone valpolicella masi 25

O Recioto della Valpolicella pode receber as seguintes denominações:

  • Classico: se produzido na subárea dos municípios de: Fumane, Marano di Valpolicella, Negrar, San Pietro em Cariano, Sant’Ambrogio de Valpolicella pertencentes à Valpolicella clássica.
  • Valpantena se produzida no vale Valpantena

Podemos, portanto, ter:

  • Recioto della Valpolicella
  • Recioto della Valpolicella classico
  • Recioto della Valpolicella Valpantena

Seu sabor doce e aveludado adota maravilhosamente um chocolate intenso.

As vinícolas:

Visitamos na região de Valpolicella, a vinícola Serego Alighieri e Masi, as duas ficam um ao lado da outra. Serego Alighieri, é uma propriedade do Conde Serego Alighieri, descendente de um dos filhos de Dante Alighieri, Piero.

A Serego Aliguieri é uma das mais antigas vinícolas da região do Veneto, e de propriedade do Conde Serego Alighieri, descendente de um dos filhos de Dante Alighieri, autor da Divina Comédia. O seu filho, Piero adquiriu a propriedade chamada Casal dei Ronchi, em Gargagnago, hoje no coração da histórica região produtora dos vinhos Valpolicella.

verona amarone valpolicella masi 32

a vinicola

Depois de 21 gerações, a propriedade Serego Alighieri ainda pertence aos descendentes diretos do poeta. Desde 1973 o Conde colabora com a Masi Agricola na produção de prestigiosos vinhos, já que Masi é leader na produção do vinho Amarone.

Durante a visita conhecemos as 2 propriedades e ao fim fizemos uma degustação completa de 8 vinhos, do Valpolicella Clássico ao Amarone e ao Recioto, um delicioso vinho doce produzido na região. Portanto 2 da Sereno e 6 da Masi.

verona amarone valpolicella masi 4

A vinícola Masi produz:

  • Rosa dei Masi
  • Soave Classico “Levarìe”
  • Bianco Igt “Masianco”
  • Bardolino Classico “Frescaripa”
  • Rosso Veronese Igt “Campofiorin”
  • Valpolicella Classico “Bonacosta”
  • Rosso Veronese Igt “Brolo Campofiorin”
  • Rosso Veronese Igt “Osar”
  • Amarone della Valpolicella Classico “Vaio Armaron”
  • Amarone della Valpolicella Classico “Costasera”
  • Amarone della Valpolicella Classico Riserva “Costasera”
  • Recioto della Valpolicella “Angelorum”

Já a Serego Alighieri produz:

  •  Vaio Armaron Amarone
  •  Casal dei Ronchi Recioto
  • MontePiazzo Valpolicella Classico Superiore

Obviamente, a Serego Alighieri produz um delicioso Valpolicella, um vinho tinto intenso, charmoso e cheio de fruta, conhecido atualmente como Possessione Rosso. Enquanto o vinho Vaio Armaron também é fantástico, considerado um dos melhores Amarone já produzidos.

verona amarone valpolicella masi 1

Além dos vinhos, como a região do Valpolicella é rica em produtos alimentares de origem controlada, a Serego Alighieri oferece uma completa gama de produtos aos amantes da boa mesa: azeite de oliva extra virgem, aceto balsâmico, uma grappa de Amarone, o arroz Vialone Nano para risotos, mel de acácia e uma extraordinária geleia de cereja, feitas com frutas de seu pomar.

A visita é impecável, conhecendo desde a história da família, da região de Valpolicella, da vinificação e processo de appassimento, assim como a degustação guiada dos vinhos. Recomendo!

Aprender sobre vinhos é também conhecer e provar todas as referências de tipos e estilos produzidos pelo mundo, e o Amarone é um vinho que não pode faltar na lista de todo apreciador.

verona amarone valpolicella masi 3

Wine Shop: aberto de segunda a sábado das 10h30 às 22h; Domingo das 10.30 às 16.00.
Visitas guiadas: mediante reserva, à partir de 15 euros
site: http://www.masi.it/
Tel. +39 045 7580239

Boa viagem!

 *Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

Nota: Eu participei desta viagem como convidada pela agência parceira do Itália para Brasileiros. Caro leitor, a cortesia não condiciona este texto, ele faz parte de uma série de textos baseados nas minhas experiências durante esta viagem. Todos serão identificados. Não recebi dinheiro para escrever, portanto tenho total liberdade editorial e garanto o respeito aos meus leitores.

blogtrip

The following two tabs change content below.
Deyse Ribeiro
Deyse Ribeiro mora na Toscana desde 2008, onde é guia de turismo habilitada, autora do blog Passeios na Toscana. Ela trocou as colinas de Minas pelas colinas do Chianti, o queijo mineiro pelo pecorino e a cachaça do interior pelo vinho Brunello, deixou pra trás o diploma de advogada e começou uma vida nova “sob o sol da Toscana”. Entende o complexo mundo do turismo na Itália, é especialista em trufas (tartufo), estudante de sommelier profissional, e apaixonada por arte e história.
 

Deixe uma resposta

Style Switcher

Skin:

Backgrounds:

                       

You can also upload your own background from the Admin Panel.

Highlight Color:

             

Best viewed within the shop.

You can also create your own highlight color from the Admin Panel.